Pesquisar este Blog

segunda-feira, 7 de outubro de 2013

Lei de Reprodução: Amor e Sexo


Ao definir o Amor, como sendo "a combinação vibratória, a afinidade máxima ou completa", André Luiz vai renovar os conceitos que até então vigoraram a respeito desse sentimento universal. Ante o pensamento do Benfeitor, o Amor se apresenta como necessidade fundamental da criatura. Trocar valores energéticos, permutar vibrações de afeto com as almas afins é uma condição obrigatória para a alma encarnada ou desencarnada, pois através desse processo o Espírito se alimenta, se fortalece e se completa.

André Luiz completando o pensamento anterior, diz que "a alma por si mesma, nutre-se apenas de Amor", pois da mesma forma que o corpo nutre-se de recursos orgânicos para sua sobrevivência, assim também o Espírito vai nutrir-se de recursos afetivos para o seu equilíbrio íntimo.

Existem formas diversas através das quais as almas afins vão permutar valores afetivos. O intercâmbio sexual, a troca de carinhos, a presença física, ou até mesmo o ato de pensar na pessoa querida são processos de troca magnética.
O sexo se apresenta então com 2 funções fundamentais:

- Reprodução: perpetuação da espécie no planeta;
- Troca de valores afetivos.

Sexo e Evolução

Os Benfeitores espirituais afirmam a Allan Kardec [LE-qst 202] que "os Espíritos não tem sexo."
No entanto em diversas descrições do mundo espiritual, observamos Espíritos masculinos e femininos. Até casamento no plano espiritual é relatado.

Como entendermos esta questão?

Informam os Benfeitores que o Espírito, por si mesmo, não apresenta uma definida personalidade sexual, ou seja, guarda na sua intimidade tanto valores masculinos quanto femininos; todavia ele se submete a diversas encarnações como homem e como mulher. Em cada uma dessas polaridades ele vai desenvolver condicionamentos específicos, aprimorando-se espiritualmente.

É natural que nos séculos em que estiver estagiando em encarnações masculinas, ele venha a adquirir características físicas e psicológicas inerentes a esta polarização. O mesmo acontece com encarnações femininas.

Mente - Corpo

Embora reconheçamos que na maioria das consciências encarnadas a relação mente-corpo permanece seguramente ajustada, em algumas circunstâncias especiais, a polarização não se realiza, estabelecendo um confronto entre o "sexo espiritual" e o "sexo físico".
Dentre estas condições especiais, Jorge Andréa [Forças Sexuais da Alma] vai estudar três, mais detalhadamente:
a) Intersexualismo
Indivíduos que desde o nascimento apresentam fisicamente órgãos sexuais ambíguos, porém sempre com predominância de um pólo sexual que vai ajudar na definição sobre o sexo. Poderá haver necessidade de cirurgia corretora com posterior amparo psicológico e educacional.
b) Transexualismo
Seres absolutamente normais em suas funções sexuais de periferia (órgãos sexuais externos), mas que apresentam manifestações psicológicas do sexo oposto. O arcabouço psicológico não corresponde à realidade física.
c) Homossexualismo
Casos típicos de desvios patológicos, em que os indivíduos procurariam atender às solicitações sexuais com parceiro do mesmo sexo, em atitudes ativas ou passivas.

O que mais nos importa, é fazermos uma diferenciação clara entre o transexualismo e o homossexualismo. A primeira condição não configura um desvio de sexualidade. Espíritos que viveram experiências reencarnatórias em um sexo e passam a reencarnar no outro, naturalmente vão experimentar traços, trejeitos e tendências psicológicas do sexo anterior.

O homossexualismo por sua vez caracteriza-se por uma inversão da libido: os indivíduos aspiram a uma comunhão afetiva com pessoas do mesmo sexo.

Inversão Sexual

Importa-nos examinar as raízes do transexualismo: o que leva determinados Espíritos que venham reencarnados em certa polaridade sexual a solicitarem uma existência no outro sexo (ou serem levados compulsoriamente a isto)?
Podemos considerar, de uma forma geral, três situações em que tal inversão ocorreria:

a)Processo evolutivo
Em [LE-qst 202] a Espiritualidade indica que a constituição sexual orgânica do Espírito que vai reencarnar  "depende das provas que ele tiver que sofrer ".
Allan Kardec acrescenta que:
"como devem progredir em tudo, cada sexo, como cada posição social, oferece-lhes provas e deveres especiais e novas ocasiões de adquirir experiências. Aquele que fosse sempre homem, só saberia o que sabem os homens."
Emmanuel [Vida e Sexo] aprofunda o tema, explicando que:
"a vida espiritual pura e simples se rege por afinidades eletivas essenciais; no entanto através de milênios, o Espírito passa por fileira imensa de reencarnação, ora em posição de feminilidade, ora em condições de masculinidade, o que sedimenta o fenômeno da bissexualidade, mais ou menos pronunciado, em quase todas as criaturas."
Richard Simonetti acrescenta:
"em elevados estágios evolutivos, o Espírito alcança um perfeito equilíbrio entre o que de melhor pode oferecer os dois sexos".
b) Processos expiatórios e regenerativos
Joanna de Ângelis [No Limiar do Infinito] explica que:
"As aptidões para a reencarnação na masculinidade ou na feminilidade são sempre resultado da conduta na forma anterior, que o Espírito vitalizou, e na qual coletou conquistas e prejuízos que cumpre multiplicar ou reparar em sacrifícios que se impõem no cadinho regenerador da carne."
André Luiz [Ação e Reação] lembra que
"Em muitas ocasiões, quando o homem tiraniza a mulher, furtando-lhe os direitos e cometendo abusos em nome de sua pretensa superioridade, desorganizando-se ele próprio a tal ponto que, inconsciente e desequilibrado, é conduzido pelos agentes da Lei Divina a renascimento dolorosos, em corpo feminino, para que no extremo desconforto íntimo, aprenda a venerar na mulher sua irmã e companheira, filha e mãe, diante de Deus, ocorrendo idêntica situação à mulher criminosa que, depois de arrastar o homem à devassidão e à delinqüência, cria para si mesma terrível alienação mental para além do sepulcro, requisitando quase sempre, a internação em corpo masculino, a fim de que, nas teias do infortúnio de sua emotividade, saiba edificar no seu ser o respeito que deve ao homem, perante o Senhor."
Emmanuel [Vida e Sexo] detalha esta situação, quando coloca que:
"o homem que abusou das faculdades genésicas, arruinando a existência de outras pessoas com a destruição de uniões construtivas e lares diversos, em muitos casos é induzido a buscar nova posição, no renascimento físico, em um corpo morfologicamente feminino, aprendendo, em regime de prisão, a reajustar os próprios sentimentos, e a mulher que agiu de igual modo é impulsionada à reencarnação em corpo morfologicamente masculino, com idênticos fins."
c) Encargos particulares
Em muitas circunstâncias, Espíritos cultos e sensíveis reencarnam em corpos que lhes não correspondem aos mais recônditos sentimentos, em vestimenta carnal oposta à sua estrutura psicológica. Esta posição é solicitada por eles próprios no intuito de operarem com mais segurança e valor, não só o acrisolamento moral de si mesmos como também a execução de tarefas especializadas, em favor do campo social terrestre.
Emmanuel esclarece que estes Espíritos
"Escolhem com isso viver temporariamente ocultos na armadura carnal, com que se garantem contra arrastamentos irresistíveis, no mundo afetivo, de maneira a preservarem nos objetivos que abraçam."
Richard Simonetti explica que o indivíduo nesta situação,
"com uma psicologia que não se ajusta à morfologia, tenderá a sentir atração por indivíduos do mesmo sexo. Com sua consciência não lhe permitirá um envolvimento deste tipo, que sente contraditória à natureza, optará pela solidão afetiva, com o que passará a dedicar-se inteiramente as tarefas a que se propôs, desdobrando sacrificial existência."
Sexo e Equilíbrio

 André Luiz, examinando a questão palpitante do equilíbrio da função genésica opina:
"O instinto sexual para coroar-se com glórias do êxtase, há que dobrar-se aos imperativos da responsabilidade, as exigências da disciplina, aos ditames da renúncia."
Desvios da Sexualidade

 Didaticamente podemos definir os diversos desvios da sexualidade em 2 grupos bem determinados:

1º GRUPO: enfermidades do instinto sexual em função da acumulação dos cargos magnéticos do instinto sexual à falta de sólido socorro íntimo para que se canalizem na direção do bem.
O Instinto Sexual (impulso criador), libido, força sexual da alma é uma energia específica gerada no psiquismo do Espírito e que, ao atingir a sua consciência, vai alimentá-la em seus mais diversos setores.
Essa energia extraordinária que na Terra tem sido utilizada pelo maioria de nós, apenas ou quase preferencialmente como combustível para a relação sexual física, é, na realidade, responsável pela criação estética, pelos processos da inteligência, pela prática do esportes, da música, da mediunidade, etc.
Estancar essa força, através da castidade sexual não construtiva (sem canalização para outras atividades), é condição perigosa e que pode levar a desastres diversos.
Muitos psicopatas, com neuroses de ansiedade, depressão, histéricas são geradas ou agravadas pelas frustrações do instinto sexual não mobilizado.
Jorge Andréa lembra:
“Quando houver isolamento sexual por pieguismos, fanatismos ou conceituação pouco feliz de caráter religioso e sem substituição por outras fontes dinâmicas, a castidade será destrutiva e sem escopo útil."
Castidade construtiva  - Canalização da energia sexual para:
- Atividades físicas: esportes, dança, etc.;
Atividades intelectuais: pesquisa científica, trabalho gratificante;
Atividades culturais: música, teatro , literatura;
Atividades espirituais: passe, incorporação mediúnica, trabalho espírita, assistência social, etc.
2º GRUPO: Viciação e adulteração do centro genésico em função da utilização inconseqüente e irresponsável das energias sexuais
Nesse grupo vamos identificar diversas distonias sexuais que surgem em decorrência de abusos excessivos e irresponsabilidades cultivados pelo ser espiritual em suas existências milenárias.
a) Parafilias: São distúrbios da excitação sexual. Indivíduos que só conseguem a excitação sexual efetiva ante certas condições anômalas.
Exemplos de Parafilias
Pedofilia
Atração sexual por crianças
Necrofilia
Atração sexual por cadáver
Masoquismo
Excitação ante o próprio sofrimento
Sadismo
Excitação ante o sofrimento de outrem
Zoofilia
Excitação com animais
Exibicionismo
Quando se sentem observados durante o ato sexual.
Voyerismo
Excita-se observando outras pessoas em relação sexual.
b) Frigidez e Impotência Sexual: Joanna de Ângelis lembra-nos que "todo abuso gera imposto de carência", mostrando que na base da impotência sexual no homem e da frigidez na mulher, está, muitas vezes, num passado infeliz do ponto de vista sexual. 
c) Mal-formações genitais: O uso do sexo de forma excessivamente negativa, pode lesar gravemente o corpo espiritual nas regiões responsáveis pela sexualidade, imprimindo no corpo físico as mal-formações genitais correspondentes. 
d) Ninfomania ou Satiríase: São desvios graves da função sexual que tornam o indivíduo neuroticamente obsecado pelo prazer hedonista. Pessoas profundamente viciadas em relações sexuais, sem o mínimo de auto-controle, chegando a ter 4 a 5 intercâmbios sexuais diariamente. São indivíduos atormentados dia e noite, pois mantém-se constantemente em todo estado de excitação sexual.

Homossexualismo

 Com relação à homossexualidade, muito mais que "causas", poderíamos indicar algumas condições (às vezes simultâneas), em que esta problemática do instinto sexual se exteriorizaria:
a) Inversão sexual
Quando o indivíduo, por deficiência do desenvolvimento espiritual, não suportar as pressões decorrentes de sua nova condição física, buscando o sexo de sua predileção psicológica, na procura de satisfação dos sentidos físicos. São os homossexuais que também são transexuais;
b) Processo obsessivo
Quando ocorre o assédio de Espíritos que buscam provocar ou se aproveitar das distonias no centro da emoção. Atuando sobre os centros genésicos, o obsessor tem sua ação facilitada pelas tendências de vidas anteriores que o obsediado traz impressas em seu perispírito. Quando o indivíduo não possui defesas morais, o processo obsessivo pode chegar à vampirização.
c) Processo vicioso
Quando o indivíduo, mesmo sem enfrentar os inquietantes problemas da inversão sexual, opta por uma vivência homossexual, como um "modo de ser" diferente, em busca de novas experiências no campo do sexo. Como todos os vícios, o homossexualismo com esta característica visa o prazer, que redunda sempre temporário e incompleto, exigindo de cada um posterior reequilíbrio, muitas vezes através do sofrimento e do sacrifício pessoal.
d) Condições psicossociais
- Fatores Educacionais: Quando a educação, apoiada em inclinações morais deficitárias, ainda não amadurecidas para a verdadeira liberdade, contribui para despertar no indivíduo as tendências sepultadas nas profundezas do inconsciente espiritual.
- Perturbações psiquiátricas não devidamente diagnosticadas;
- Condições esporádicas ou acidentais: enquadra-se nesta situação as relações homossexuais existentes como alternativa para as necessidades sexuais, como nos casos das prisões, dos internatos, no exército, nas guerras, etc., quando a separação dos indivíduos de sexo opostos é de longa duração. Deve-se ressaltar que muitos homens e mulheres que durante este período mantém um comportamento ou uma conduta homossexual, muitas vezes forçados pelo meio, retornam à heterossexualidade após cessada a condição extraordinária.
- Identificação psicossexual: psicologicamente, parece haver nos indivíduos homossexuais uma grande identificação afetiva com a mãe, numa relação simbiótica, e que vai dificultar o seu processo de humanização, de tomada de consciência de si, dos outros e do mundo. Há, aparentemente, uma insistente figura paterna que fica "à espreita" nas biografias dos homossexuais, denunciando uma relação atribulada e de difícil com o pai, enquanto a mãe apareceria numa posição de cumplicidade com o filho.
Como dever conduzir a sua sexualidade, o indivíduo homossexual?

Diante das colocações feitas, podemos ver que sexo não se restringe à área genital, mas que pode, e deve, ser entendido em termos de uma energia mais abrangente, uma força criadora que todo ser traz dentro de si e que lhe serve de força motriz. No dizer de André Luiz [Evolução em Dois Mundos]
"O sexo é mental em seus impulsos e manifestações, transcendendo quaisquer impositivos da forma em que se exprimem."
Deste modo, o indivíduo deveria canalizar seus impulsos, construindo e sublimando suas emoções; através da castidade que, no caso, tem um sentido bastante expressivo. Segundo Jorge Andréa [Forças Sexuais da Alma]:
"Esta castidade não representaria o isolamento de canais das forças sexuais profundas, porém uma afetiva aplicação das energias do Espírito nas grandes construções do bem, onde os frutos das artes autênticas deixam mostras de forças criativas em constante efusão."
Daí o erro de se insistir em relações homossexuais que, embora aparentemente harmônicas no princípio, logo se desestruturam na maioria das vezes, deixando bem claro quanto elas são ilusórias. A relação homossexual é na realidade uma relação narcisista, de igual para igual, e como tal não há complemento, não há um investimento afetivo-sexual real no, e para o outro.

É pela reeducação mental, que o Espírito portador desta distonia vai regularizar os hábitos viciosos, corrigindo seu conceito de prazer e felicidade.
Esta posição, no entanto, não invalida a idéia de que um homossexual venha a experimentar uma comunhão afetiva com indivíduo do outro sexo, desde que se sinta gratificado com esta relação. A relação heterossexual monogâmica sadia poderia contribuir para o reequilíbrio das energias genésicas em uma pessoa que vivencia a condição de homossexualidade.

Fonte: http://www.proeducativa.com

Nenhum comentário:


“Os guerreiros se preparam para serem conscientes, e a total consciência vem a eles somente quando não há mais nenhuma auto-importância restando neles. Somente quando eles são nada é que eles se tornam tudo.” Carlos Castaneda