Pesquisar este Blog

quarta-feira, 19 de junho de 2013

Tipos de Mediunidade


1. Mediunidade


2. O que é ser médium? 

Todo aquele que sente, num grau qualquer, a influência dos Espíritos é, por esse fato, médium. Essa faculdade é inerente ao homem; não constitui, portanto, um privilégio exclusivo. Por isso, raras são as pessoas que dela não possuam alguns rudimentos.

3. Apesar disso, só chamamos de médiuns aqueles em que a faculdade mediúnica se mostra caracterizada e se traduz por efeitos patentes, de certa intensidade, o que depende de uma organização mais ou menos sensitiva.

4. a) Sintoma clássico: suor excessivo nas mãos e axilas. As mãos ficam molhadas, quase geladas. Os pés também ficam gelados; as maçãs do rosto muito vermelhas e quentes; as orelhas ardem. b) Depressão psíquica: a pessoa fica totalmente instável, passando de uma grande alegria para uma profunda tristeza sem motivo aparente. Fica melancólica e sente uma profunda solidão. É facilmente irritável. 

PRINCIPAIS SINTOMAS DA MEDIUNIDADE

5. c) Alterações no sono: sono profundo ou insônia. A insônia é provocada pela aceleração no cérebro devida à vibração. Os pensamentos ficam incontroláveis e a pessoa não consegue dormir. O sono profundo é devido à perda de ectoplasma, de força vital. d) Perda de equilíbrio e sensação de desmaio: a perda de equilíbrio é uma sensação muito rápida. A pessoa pensa que vai cair e tenta se segurar em alguma coisa, mas a sensação termina antes que ela consiga fazer qualquer gesto. É extremamente desagradável. A sensação de desmaio normalmente ocorre quando a vibração abandona a pessoa bruscamente.

6. e) Taquicardia: comum em algumas pessoas. Há uma súbita alteração no ritmo dos batimentos cardíacos, fruto do aceleramento provocado pela vibração atuando. 

f) Medos e Fobias: a pessoa fica com medo de sair sozinha, de se alimentar, de tomar remédios, pois acha que tudo lhe fará mal. Às vezes tem medo de dormir sozinha ou com a luz apagada. É muito comum, também, uma total insegurança em tudo o que vai fazer.
7. Todos esses sintomas tendem a desaparecer com a preparação espiritual e o desenvolvimento mediúnico, mas o tempo necessário ao desenvolvimento dependerá muito do grau de mediunidade, do interesse e da preparação espiritual do médium.

8. 1 – DE EFEITOS FÍSICOS
Médiuns de translações e de suspensões - Suspensão de corpos, transportes, deslocamento de objetos, levitação. Médiuns de efeitos musicais - Executam músicas, sem contato com instrumentos. Médiuns de aparições - Materializações visíveis e tangíveis, inclusive às pessoas presentes. Tipos de Médiuns

9. Médiuns de transporte - É a capacidade de visitar espiritualmente outros lugares, enquanto o corpo físico permanece repousando tranquilamente  o espírito se desliga do corpo e vai para o espaço. Esse transporte pode ser voluntário ou involuntário. Médiuns pneumatógrafos - São os que produzem a escrita direta, sem tocarem no lápis ou no papel.

10. Médiuns tipitólogos - Provocam ruídos e pancadas. Médiuns noturnos - Obtêm fenômenos físicos na obscuridade. Médiuns Curadores - Curam pela imposição das mãos ou preces.

11. 2 - EFEITOS INTELECTUAIS 

Médiuns audientes - O médium ouve uma voz clara e nítida nos seus ouvidos e dessa forma recebe mensagens. Médiuns videntes - Tipo de mediunidade que permite, àquele que a possui desenvolvida, ver as entidades, as irradiações. Pode ser de três tipo: direta, intuitiva e focalizada.

12. Médiuns falantes - Transmitem a mensagem espírita através da fala. Os Espíritos atuam sobre o órgão da fala, como atuam sobre a mão dos médiuns escreventes. 

Médiuns proféticos - Recebem revelações de ocorrências futuras, de interesse geral. Médiuns inspirados - Recebem sugestões dos Espíritos através de seus pensamento, na maioria das vezes, sem os saberem.

13. Médiuns de pressentimentos - Têm uma vaga impressão de ocorrências futuras. Médiuns sonâmbulos - Em transe sonambúlico  são assistidos por Espíritos. Médiuns piscopictógrafos - As comunicações ocorrem através de pinturas e desenhos.

14. Médiuns psicógrafos - Pode ser intuitiva, semi mecânica ou mecânica. É a capacidade de receber comunicações pela escrita. Na psicografia intuitiva, o médium recebe as mensagens na mente e as passa para o papel. É pura intuição. Na psicografia semi mecânica, o médium, à medida que vai escrevendo, vai também tomando conhecimento do que escreve. O espírito atua, simultaneamente, na mente e na mão do médium. Na psicografia mecânica, o espírito atua somente na mão do médium, que escreve sem tomar conhecimento da mensagem recebida.

15. Variedades de Médiuns escreventes ou psicógrafos. 

a) Segundo o modo de execução (L.M., Gap. XVI, item 191): 1 – Mecânicos 2 - Semi-mecânicos 3 - Intuitivos 4 - Polígrafos 5 - Poliglotas 6 - Iletrados

16. b) Segundo o desenvolvimento da faculdade (L.M., Gap. XVI, item 192): l - Novatos 2 - Improdutivos 3 - Formados 4 - Lacônicos 5 – Explícitos 6 – Experimentados 7 – Flexíveis 8 – Exclusivos 9 – Evocações 10 - Ditados espontâneos

17. c) Segundo o gênero e a parcialidade das comunicações (L.M., Gap. XVI, item 193): 1 - Versificadores: comunicações em versos; 2 - Poéticos: comunicações poéticas, ternas, sentimentais; 3 - Positivos: comunicações com nitidez e precisão; 4 - Literários: estilo correto, elegante, eloquente; 5 - Incorretos: imprecisos na linguagem, por falta de cultura; 6 - Historiadores: dissertações históricas; 7 - Científicos: explanação científica, sem dizer sábia; 8 - Medicinais: recebem prescrições médicas; são os receitistas; 9 - Religiosos: comunicações de caráter religioso; 10 - Filósofos ou Moralistas: questões morais e filosóficas; 11 - Triviais e obscenos: comunicações fúteis, sem proveitos, imorais.

18. d) Segundo as qualidades físicas do médium (L.M., Cap. XVI, item 194): 1 - Calmos: escrevem lentamente, sem agitação; 2 - Velozes: escrevem com rapidez inabitual; 3 - Convulsivos: permanecem em estado de superexcitação quase febril, e, às vezes, dependem da natureza do Espírito.

19. e) Segundo as qualidades morais do médium (L.M., Cap. XVI, item 195): l- Obsedados: com ligações inoportunas e mistificadoras; 2 - Fascinados: os enganados pelos Espíritos mistificadores; 3 - Subjugados: dominados moralmente por Espíritos maus; 4 - Levianos: não levam a sério suas faculdades; 5 - Indiferentes: não tiram proveito das instruções recebidas; 6 - Presunçosos: têm a pretensão de estar em relação somente com Espíritos Superiores;

20. 7 - Orgulhosos: os que se envaidecem com as comunicações recebidas; 8 - Suscetíveis: ofendem-se com as críticas e gostam de ser bajulados; 9 - Mercenários: exploram as suas faculdades; 10 - Ambiciosos: sem vender suas faculdades, esperam delas tirar proveito; 11 - Má-fé: simulam faculdades que não possuem, para parecerem mais importantes: 12 - Egoístas: guardam para si mesmos as comunicações recebidas;

21. 13 - Invejosos: os que se mostram despeitados com o maior apreço dispensado a outros médiuns; 14 - Sérios: utilizam suas faculdades para o Bem e com finalidade útil; 15 - Modestos: não se atribuem nenhum mérito nas comunicações recebidas e não se julgam livres de mistificações; 16 - Devotados: abnegados, sacrificam-se para o Bem; 17 - Seguros: têm facilidade para recepção, merecem maior confiança dos Espíritos. São fluentes, desembaraçados e dignos.

22. Bibliografia Kardec, Allan - Livro dos Médiuns. Armound, Edgard - Mediunidade. Fonte: Site O Consolador

Um comentário:

Sérgio Santos disse...

Bacana saber mais sobre isso. Esse assunto é tão instigante que fascina. bjs


“Os guerreiros se preparam para serem conscientes, e a total consciência vem a eles somente quando não há mais nenhuma auto-importância restando neles. Somente quando eles são nada é que eles se tornam tudo.” Carlos Castaneda