Pesquisar este Blog

quarta-feira, 5 de junho de 2013

Elementos Gerais do Universo, Fluído Cósmico Universal e Matéria e suas Acepções

Introdução:

Já descobrimos a natureza de DEUS: Criador!
Criador, no sentido de planejador e executor da existência das coisas.
Apesar de não termos ainda condições de compreender como tudo se deu (a
criação divina) em sua minúcia e em detalhes. Aliás, a forma como tudo se
deu é mesmo ainda um mistério que não temos capacidade para a
compreensão completa.
Certo é que existem explicações e são dadas noções a respeito
Ora, como criador, há a contrapartida BÁSICA que é o fruto do atual
estudo: Afinal, o que DEUS criou.
Numa explicação simples, podemos dizer que DEUS Criou tudo o que
existe, e como já ficou claro, não há que se confundir DEUS com a
substância do qual se origina o Universo.

Evidente que não é suficiente e nem satisfaz essa explicação. Para
aqueles que desejam saber mais, simplesmente dizer que DEUS criou tudo é
simplesmente falar o que já é óbvio.
Os Espíritos Superiores explicaram a Allan Kardec com uma certa
minúcia o que DEUS criou. Tais explicações estão contidas no Livro dos
Espíritos – Livro Primeiro - Capítulo III – Criação, e A Gênese, em todos os
seus capítulo.
No momento o que é interessante se saber é que as coisas que
existem possuíram um criador. Em momento oportuno estaremos falando
sobre a criação.

Criaturas de Deus

Os Espíritos Superiores, quando explicam a criação divina, dividem-na
em dois grandes aspectos: O Princípio Inteligente e o Princípio Material.
Cada qual desses princípios somente existe em função do outro,
apesar de serem independente e não se confundirem.
Vejamo-los:

O Princípio Inteligente

É o agente, possuidor dos sentidos. Dele se extrai o espírito (princípio
inteligente individualizado do universo) como evolução do princípio
inteligente.
O princípio inteligente, na verdade confunde-se com a própria
inteligência das coisas, especialmente no homem que, ao receber o nome de
espírito, é capaz de criar a vida moral.
Os animais possuem princípio inteligente (o que neste caso não se
confunde com o espírito), entretanto a inteligência com que se expressam
serve apenas para a realização de atos da vida cotidiana relacionados
principalmente com a sobrevivência.

O Princípio Material

Também conhecido pelo nome de como Fluído Cósmico Universal
(F.C.U.). Dessa matéria se extrai todas as outras matérias que compõe o
universo. Em sua forma mais pura é o único elemento que poderá fazer a
junção entre a matéria bruta (física) e o espírito, face a sua estrutura
especial.
O Fluído Universal é o agente que ligado a matéria é capaz de permitir
sua organização e, sem ela, a matéria (na acepção que conhecemos estaria
em estado de perpétua desagregação).

O Fluído Cósmico Universal (FCU) dá origem a matéria do plano
espiritual, da qual uma das manifestações mais comentadas é o perispírito.
Da matéria do plano espiritual há uma grande variedade de fenômenos que
acabam ocorrendo.
Assim como dá origem a matéria do plano espiritual, o FCU também é
ponto de princípio da matéria bruta. Neste caso encontramos como exemplo
o fluido vital (que anima o corpo físico) e a matéria do plano físico.
Chamamos de matéria bruta tudo aquilo que ocupa lugar no espaço,
entretanto, para o espiritismo, matéria vai além desse conceito, posto que
como é explicado na questão nº 22-a do Livro dos Espíritos, matéria é o
liame que escraviza o espírito, da mesma forma que é o veículo de
sua manifestação no mundo físico e espiritual, é o instrumento onde
o espírito exerce a atuação de sua inteligência.

O corpo é uma capa externa que expressa as ordem do espírito.
Ordens estas que chegam até o corpo através do perispírito (que será
analisado oportunamente). Entretanto, transmite através do perispírito, as
sensações captadas pelos sentidos físicos. O corpo físico não é a inteligência
e nem a possui. A inteligência reside no espírito imortal.
Nem todas as matérias do plano físico são mensuráveis, como se verá,
mas nem por isso deixam de existir

Matéria (fluídos) e suas acepções

Conceito da física comum e do espiritismo. Fluído é a matéria que se
encontre em estado líquido, gasoso ou outro que não o sólido. Sendo assim,
tudo que não esteja em estado sólido, podemos chamar de fluídos.
Matéria até então é entendida pela ciência como sendo tudo aquilo que
ocupa lugar no espaço. Esta definição entretanto não é muito precisa e serve
apenas para definir matéria no plano físico mais grosseiro.
Os alquimistas, na antiguidade, atribuíam a existência da matéria a
quatro elementos. Os quatro elementos :
  • Água
  • Fogo
  • Ar
  • Terra

Consideravam que o universo era formado pela combinação desses
quatro elementos. Ainda procuravam a pedra filosofal e o elixir da vida
eterna, posto que acreditavam que era possível se estabelecer uma essência
que evitasse a morte e também acreditavam na possibilidade da
transformação (através da transmutação) da matéria.
Aliás essa possibilidade também se expressava na crença de que os
elementos primitivos se combinavam para formar novas substâncias mais
complexas. Exemplo: oxigênio, ferro, cálcio, hidrogênio, etc...

A verdade se estabeleceu com o advento da ciência. A evolução
científica mostrou que não era de todo que os antigos estavam equivocados.
Descobriram a menor porção da substância que mantém as propriedades
características desta, que no caso é a molécula, assim como descobriu a
menor porção da matéria a que chamou de átomo.
Em 1946 Bohr e Rutterford esclareceram o mundo com sua pesquisa a
respeito do átomo e daí todas as variações da matéria.
Foi um passo importante da ciência no esclarecimento humano, e mais,
vindo ao encontro do pensamento kardequiano.
Hoje sabemos que já existem outras partículas menores que os átomos
e que integram-lhe a natureza, mas o estudo do átomo ainda é fundamental
para compreendermos a existência da matéria física e seus meandros.

O átomo

A ) Concepção antiga :
Um bólido sólido

B) Concepção moderna :
Um corpo formado ainda por outras partículas.
  • partículas sub atômicas -->
  • próton
  • elétron
  • nêutron

Chegou-se a evolução do conceito baseado no interesse da ciência em
explicar as coisas. Partiu-se do que era conhecido e ponderável, para então
se descobrir o que era desconhecido.

Ponderável : aquilo que se pode avaliar por instrumentação conhecida
Imponderável : é o que não se pode avaliar materialmente
Aumenta a imponderabilidade
Se torna mais sutil a matéria
Diminui a tangibilidade
As graduações da matéria são subordinadas de acordo com as
propriedades, isto é, qualidades inerentes as mesmas, e as modificações que
a mesma recebe. Cada modificação gera uma matéria nova.

Vida orgânica

O planeta terra durante sua formação não possuía vida orgânica.
Inicialmente os ELEMENTOS foram combinados entre si, formando outros
com propriedades diferentes.
Acreditava-se que a vida era gerada espontaneamente :
  • de trapos sujos = ratos
  • de roupas velhas = pulgas
  • de restos de alimentos = insetos (baratas)

Hoje se sabe muito bem que a vida não é gerada espontaneamente. A
Doutrina Espírita fala do fluído vital como sendo o elemento que dá vida a
matéria.
O princípio vital tem origem no Fluido Cósmico Universal e é ele que dá
propriedades especiais a matéria transformando a matéria inorgânica em
matéria orgânica, e vice-versa. Assim, a origem do fluído vital é o Fluido
Cósmico Universal.
Infelizmente para a ciência o Princípio Vital, princípio especial é
fonte do fluído vital, que como já visto dá vida a matéria bruta ainda é
inapreciável, logo ainda não definível.
Não se deve confundir vida com inteligência. Este último atributo quem
dá a matéria é o Princípio Inteligente que a ela se une. Da mesma forma,
não se deve confundir vida orgânica com vida moral e inteligência. Estas
últimas é o espírito que fornece ao homem.
O fluido vital está relacionado com a vida e a possibilidade da
matéria expressá-la. Ausente esse elemento, a matéria deixa de ser orgânica
e não é mais possível ao espírito manipulá-la, salvo sob condições especiais.
Muitas vezes o espírito perde a possibilidade de se manifestar em seu corpo
físico porque este não mais possui o fluído vital, momento então que ocorre
a desencarnação. O espírito até tem vontade de se expressar, mas o corpo
não mais possui condições para isso.
Um exemplo básico de esgotamento ou não do fluído vital foi o caso de
Lázaro que apresentou estado letárgico
  • estado letárgico = corpo inteiro
  • estado cataléptico = membro ou função

O fluido vital pode ser absorvido através da alimentação. Todos os
elementos orgânicos são capazes de, ao serem comidos, fornecerem fluído
vital para aquele que o comeu.
Por exemplo, as plantas. Elas absorvem do ambiente e elaboram o
fluído vital para consumi-lo em sua existência. A absorção e elaboração se dá
através de sua alimentação primitiva baseada na fotossíntese.
Os animais e o homem, entretanto, ao que parece não são capazes de
elaborar o fluído vital originariamente, mas podem absorvê-lo da
alimentação.
Tanto os vegetais, como os animais, carregam consigo o fluído vital e
quando são alimento a outras espécies de animais, acabam tendo parte de
seu fluído vital transferido.
Os espíritos nos aconselham a nos alimentarmos frugalmente evitando
carnes, posto que há economia para o organismo.
Na alimentação, não é todo o fluído vital que é absorvido. Se
pensarmos que em nossa alimentação, nossa eficiência é de 80%, podemos
verificar que:

X Kg de Vegetal – 100% de fluído vital
Homem – 80% de fluído vital de aproveitamento.
Agora se o homem se alimenta de carnes, seja da espécie que for,
teremos:
X Kg de Vegetal – 100% de fluído vital
Animal – 80% de fluído vital de aproveitamento.
Homem (que se alimenta de carne) – 80% de aproveitamento de fluído vital
do animal e 64% de aproveitamento de
fluído vital se comparado ao vegetal

Não é difícil se perceber que para aqueles que se alimentam de carnes
precisam ingerir muito mais alimento para conseguir a mesma quantidade de
fluído vital que se se alimentassem de vegetais.
Não se deseja aqui que se elimine completamente da carne da
alimentação, posto que existem ainda alguns cientistas que acreditam que é
necessário o consumo de uma pequena quantidade de carne para o bom
funcionamento corporal do homem. Por outro lado, também já existem vários
pesquisadores que encontraram substitutivos para o consumo de carne, tal
como a soja e outras proteínas.
O importante é sabermos que quanto mais nos alimentamos a base de
vegetais consumimos, melhor será o aproveitamento e o funcionamento do
corpo físico. Ainda dos alimentos, se indica o consumo de grãos que, por
serem sementes, trazem consigo um maior estoque de fluído vital.
Da mesma forma, o fluido vital pode ser transferido de ser para ser.
Uma das formas é o passe.

Fonte: http://www.stanczyk.net.br

Nenhum comentário:


“Os guerreiros se preparam para serem conscientes, e a total consciência vem a eles somente quando não há mais nenhuma auto-importância restando neles. Somente quando eles são nada é que eles se tornam tudo.” Carlos Castaneda