Pesquisar este Blog

quarta-feira, 19 de junho de 2013

Tipos de Mediunidade


1. Mediunidade


2. O que é ser médium? 

Todo aquele que sente, num grau qualquer, a influência dos Espíritos é, por esse fato, médium. Essa faculdade é inerente ao homem; não constitui, portanto, um privilégio exclusivo. Por isso, raras são as pessoas que dela não possuam alguns rudimentos.

3. Apesar disso, só chamamos de médiuns aqueles em que a faculdade mediúnica se mostra caracterizada e se traduz por efeitos patentes, de certa intensidade, o que depende de uma organização mais ou menos sensitiva.

sábado, 15 de junho de 2013

Sintomas de Mediunidade


A mediunidade é faculdade inerente a todos os seres humanos, que um dia se apresentará ostensiva mais do que ocorre no presente momento histórico.

À medida que se aprimoram os sentidos sensoriais, favorecendo com mais amplo cabedal de apreensão do mundo objetivo, amplia-se a embrionária percepção extrafísica, ensejando o surgimento natural da mediunidade.

sexta-feira, 14 de junho de 2013

A Mediunidade: Perguntas e Respostas


Todos somos médiuns?
Todos somos portadores da mediunidade natural que é o canal psíquico pelo qual recebemos as influências boas ou ruins que estimulam as experiências do Espírito na vida terrena. Porém, nem todos somos médiuns, conforme denominou Allan Kardec.

O que é Mediunidade?

Mediunidade é a faculdade humana pela qual se estabelecem as relações entre homens e espíritos. É uma faculdade natural, inerente a todo ser humano, por isso, não é privilégio de ninguém. Em diferentes graus e tipos, todos a possuímos. O que ocorre é que, em certos indivíduos mais sensíveis à influência espiritual, a mediunidade se apresenta de forma mais ostensiva, enquanto que, em outros, ela se manifesta em níveis mais sutis.

quinta-feira, 13 de junho de 2013

As Três Revelações segundo o Espiritismo

AS TRÊS REVELAÇÕES: MOISÉS, CRISTO, O ESPIRITISMO


O Evangelho segundo o Espiritismo – capítulo I – NÃO VIM DESTRUIR A LEI - itens 2 a 7.

1. Não penseis que eu tenha vindo destruir a lei ou os profetas: não os vim destruir, mas cumpri-los: – porquanto, em verdade vos digo que o céu e a Terra não passarão, sem que tudo o que se acha na lei esteja perfeitamente cumprido, enquanto reste um único iota e um único ponto. ( MATEUS, cap. V, vv. 17 e 18.)

iota – Do gr. iôta, pelo lat. iota.] 1.A 9a letra do alfabeto grego (I, i), correspondente ao nosso I.



segunda-feira, 10 de junho de 2013

Pluralidade dos mundos habitados


O nosso conceito de que Deus fez a terra e tudo que nela há, o sol, a lua e as estrelas para nós é falso e é isto que vem nos deixando com idéias arraigadas não nos permitindo enxergar mais além. Esta visão é bastante egoísta e presunçosa, não há como admitir, nos dias de hoje, que Deus tenha criado tudo para o gozo, contemplação e delícia do ser humano, que na verdade não passa de mais um dos seres da criação divina, cuja diferença para com os animais é ter o raciocínio contínuo. Entretanto mostra, em algumas situações, mais irracional que os próprios animais. Para podermos nos situar, vejamos a grandeza do cosmo. Ao depararmos com sua magnitude chegaremos à conclusão de nossa extrema insignificância perante o Universo.

Princípio Vital


PRINCIPAIS LIÇÕES CONTIDAS EM “O LIVRO DOS ESPÍRITOS”, LIVRO PRIMEIRO: AS CAUSAS PRIMÁRIAS, CAPÍTULO IV: PRINCÍPIO VITAL

SERES ORGÂNICOS E INORGÂNICOS

Os seres orgânicos nascem, crescem, reproduzem-se e morrem. Compreendem os homens, os animais e as plantas.

domingo, 9 de junho de 2013

A Criação segundo o Espiritismo


Como se deu a formação do Universo e como começou a vida na Terra?

O ser humano ainda não tem condições para conhecer inteiramente o princípio das coisas, porque não está suficientemente desenvolvido intelectual e moralmente para isso. À medida que progredir, com seus estudos e pesquisas irá descobrindo e entendendo melhor as leis e princípios da Natureza, conseguindo formular teorias mais próximas da verdade a respeito da formação do Universo e do surgimento dos seres. Além das descobertas que fizer por si mesma, a Humanidade também poderá receber revelações espirituais a esse respeito (como já ocorreu no passado), dosadas ao seu grau de evolução. Assim, aos poucos, irá sendo levantado o véu que, por enquanto, nos encobre os mistérios da Criação, a grande obra da vontade divina.

sábado, 8 de junho de 2013

Aspectos Psicológicos no Processo de Encarnação


Do Reencarnante

Informa Allan Kardec [LE - qst 339] que o momento da encarnação é seguido de um estado de perturbação mais ou menos longo. Esta perturbação, algumas vezes bastante dolorosa, tem início quando da redução do perispírito e vai prolongando-se até ao nascimento, quando o grau de inconsciência atinge o apogeu. A partir do nascimento o reencarnante vai recobrando a lucidez à medida que a as células do sistema nervoso vão se amadurecendo. O grau e intensidade da perturbação depende de 3 fatores:

Fases da Encarnação


Não existem duas encarnações iguais, mas podemos, didaticamente, separar em fases, jamais estanques, os momentos sucessivos que acompanham o mergulho do Espírito na carne.

André Luiz [Missionários da Luz] estuda a reencarnação de Segismundo mostrando-nos como se desenvolve uma encarnação do tipo semivoluntária.

sexta-feira, 7 de junho de 2013

Escala Espírita


TERCEIRA ORDEM - ESPÍRITOS IMPERFEITOS


Caracteres gerais. - Predominância da matéria sobre o Espírito. Propensão ao mal. Ignorância, orgulho, egoísmo e todas as más paixões que lhes são a conseqüência.

Têm intuição de Deus, mas não o compreendem.

Progressão dos Espíritos



Perguntas e Respostas segundo O Livro Dos Espíritos de Allan Kardec 

VII – Progressão dos Espíritos


114. Os Espíritos são bons ou maus por natureza, ou são eles mesmos que procuram melhorar-se?
 — Os Espíritos mesmos se melhoram; melhorando-se, passam de uma ordem inferior para uma superior.
 115. Uns Espíritos foram criados bons e outros maus?
 — Deus criou todos os Espíritos simples e ignorantes, ou seja, semconhecimento. Deu a cada um deles uma missão, com o fim de os esclarecer e progressivamente conduzir à perfeição, pelo conhecimento da verdade e para os aproximar dele. A felicidade eterna e sem perturbações, eles a encontrarão nessa perfeição. Os Espíritos adquirem, o conhecimento passando pelas provas que Deus lhes impõe. Uns aceitam essas provas com submissão e chegam mais prontamente ao seu destino; outros não conseguem sofrê-las sem lamentação, e assim permanecem, por sua culpa, distanciados da perfeição e da felicidade prometida.

quinta-feira, 6 de junho de 2013

O Mundo Espiritual

(Há muitas moradas na casa do Pai)


  • CAP III – ler João cap. XIV 1 a 3 )
Duas interpretações:
  1. diferentes moradas são os mundos que circulam no universo
  2. diferentes esferas em torno da Terra.
Pela literatura espírita temos:
  • VOLTEI – Irmão Jacob
  • VIDA ALEM DO VÉU – Rev. Owem
  • LIBERTAÇÃO – A Luiz
  • MEMÓRIAS DE UM SUICIDA – Ivone Pereira
E S E Cap. 3 "Conforme se ache (o Espírito) mais ou menos depurado e desprendido dos laços materiais, variarão ao infinito o meio em que ele se encontre, o aspecto das coisas, as sensações que experimente, as percepções que tenha.
Das infinitas esferas da vida do Mundo Espiritual a literatura mediúnica espírita tem-nos informado de algumas, que vamos conhecer visando apenas o melhor entendimento do tema.
POIS DEVEREMOS RETORNAR À PÁTRIA ESPIRITUAL E TEMOS QUE CONHECER PARA ONDE VAMOS
São:
  1. ABISMO
  2. TREVAS
  3. ESFERAS TERRESTRES
  4. UMBRAL
  5. ZONA DE TRANSIÇÃO
  6. ESFERAS SUPERIORES
  7. ESFERAS RESPLANDESCENTES
VAMOS CONHECER UM POUCO DE CADA

quarta-feira, 5 de junho de 2013

Elementos Gerais do Universo, Fluído Cósmico Universal e Matéria e suas Acepções

Introdução:

Já descobrimos a natureza de DEUS: Criador!
Criador, no sentido de planejador e executor da existência das coisas.
Apesar de não termos ainda condições de compreender como tudo se deu (a
criação divina) em sua minúcia e em detalhes. Aliás, a forma como tudo se
deu é mesmo ainda um mistério que não temos capacidade para a
compreensão completa.
Certo é que existem explicações e são dadas noções a respeito
Ora, como criador, há a contrapartida BÁSICA que é o fruto do atual
estudo: Afinal, o que DEUS criou.
Numa explicação simples, podemos dizer que DEUS Criou tudo o que
existe, e como já ficou claro, não há que se confundir DEUS com a
substância do qual se origina o Universo.

Fluído Cósmico Universal


Fluido Cósmico Universal é um elemento semimaterial simples e primitivo que cede a qualquer força e não tem forma independente, mas se amolda ao ambiente em que se coloca, ou se sujeita a potência de um pensamento inteligente, ou seja, essa matéria elementar é suscetível de receber todas as modificações e de adquirir todas as propriedades. Ela possui uma forma determinada, constante para as moléculas elementares primitivas e variável para as moléculas secundárias, mas ainda não pode ser apreciada ou medida pelos sentidos humanos. É o agente de que o Espírito se utiliza; é, também, o princípio sem o qual a matéria estaria em perpétuo estado de divisão e nunca adquiriria as qualidades que a gravidade lhe dá.

terça-feira, 4 de junho de 2013

A Providência Divina


Providência é, neste mundo, tudo o que se faz dispondo as coisas de modo que se realizem objetivos de ordem e harmonia, visando o bem e a felicidade das criaturas, com a plena satisfação das suas reais necessidades, sejam físicas ou espirituais.
Segundo anotações de Kardec no livro A Gênese, a providência é a solicitude de Deus para com as suas criaturas. Ele está em toda parte(...), continua o codificador, (...) tudo vê, a tudo preside, mesmo às coisas mínimas. É nisto que consiste a ação providencial.

segunda-feira, 3 de junho de 2013

A origem dos Espíritos


Falar sobre a origem dos espíritos é algo muito além da nossa capacidade. Na verdade, o que a maioria absoluta de nós podemos fazer é especular, raciocinar e intuir algo a respeito da nossa origem e de Deus.

Deus, o criador do Universo


O que é Deus? Como sabemos se Ele existe?
É a causa primária de todas as coisas, inteligência suprema que a tudo criou. Conhecemos Deus através da sua criação, observando a natureza e a perfeição existente nas leis naturais, no encadeamento lógico de tudo o que existe.


Deus sabe antecipadamente que vamos falhar em nossas provações?
Deus não nos enviaria para situações que estariam antecipadamente condenadas ao fracasso. As provas e expiações são proporcionais à necessidade do Espírito. É claro que Ele conhece a todas as suas criaturas e sabe de suas tendências e potencialidades. Sabe que um poderá falhar em áreas onde outro terá sucesso. Mas se o Espírito pede determinada prova ou expiação, evidentemente é porque sabe que tem condições para suportá-las. Poderá falhar, como poderá sair vitorioso, dependendo da melhor disposição para vencer as más inclinações. Em tudo a Sabedoria Divina nos encaminha para vivenciar as situações necessárias ao avanço do Espírito. A beleza das leis está justamente na possibilidade que se têm de refazer o trabalho, caso se tenha falhado em algum ponto.

Qual a natureza de Deus?
A natureza de Deus difere de tudo o que chamamos matéria, pois de outra forma Ele seria mutável. Não existe na linguagem humana, palavras que possam definir a verdadeira natureza da Divindade. Quando o Espírito atinge o estágio de pureza, ele compreende o Criador de modo mais amplo. Até lá, sua idéia a respeito do Pai é apenas relativa ao seu grau de adiantamento.

Fonte: http://www.espirito.org.br

Origem dos Espíritos: a evolução anímica


Em O Livro dos Espíritos, os Espíritos se definem como os seres inteligentes da criaçãoque povoam o universo em torno do mundo material. Tendo sido criados imortais por Deus, os Espíritos tiveram um começo, e assim não são de todo eternos como Deus.
Encarnados na matéria, os Espíritos formam a humanidade tal como a conhecemos; o corpo físico é então uma vestimenta para o Espírito que dele se separa quando estiver gasta.


“Os guerreiros se preparam para serem conscientes, e a total consciência vem a eles somente quando não há mais nenhuma auto-importância restando neles. Somente quando eles são nada é que eles se tornam tudo.” Carlos Castaneda